Como escrever bons textos para a internet

Tablete de argila com escrita cuneiforme em foto num leitor de livros eletrônicos
Foi um longo caminho da escrita cuneiforme em tabletes de argila ao webwriting em e-tablets. (Foto de Dylan Tweeney em http://www.flickr.com/photos/dylan20/5869971413/ )
Uma das coisas que aprendi fazendo foi como desenvolver bom conteúdo para internet. Sim, pois não basta produzir coisa boa, quem escreve quer ser lido e para ter leitores algumas práticas são fundamentais.

Selecionei alguns tópicos que hoje faço quase instintivamente. Todos tem os seus porquês e são fundamentados em muito estudo, tentativas, erros e acertos. Afinal em webwriting, nada é por acaso.

Crie títulos interessantes

Em literatura a subjetividade é linda, em webwriting quanto mais objetivos melhores.

Lembro até hoje de um texto sobre redação que li na sexta série que se chamava “A morte da pílula azul piscina”. O texto era legal, passava o recado, sobretudo sobre essa coisa de dar asas à imaginação, seduzir e entreter o leitor.

Na internet, este título atrairia as pessoas erradas e, consequentemente, quem chegasse, sairia. Portanto, da próxima vez que pensar em criar um título poético, tente equilibrar com a objetividade. “Tecnicas de redação – Como redigir um bom texto”. seria bem mais simples, no entanto, muito mais eficiente.

Cuidados na edição

Textos muito curtos são rasos. Textos muito longos são chatos.

Na internet, tudo o que não nos agrada nas pimeiras cinco linhas, partimos pra outra. Ainda assim, alguns textos necessitam maiores explicações. Nestes casos, uma boa dica para os adeptos de textos maiores é a inserção de subtítulos. Podemos não só dar a oportunidade de reorganização das idéias, ao leitor, como reforçar e focar ainda mais o texto, tornando-o mais relevante e interessante para buscas.

Use imagens

Placa de granito danificada, com escrita romana antiga.
Escrita antiga romana em placa de granito danificada pelo tempo. As imagens devem ajudar a compreender o texto e contexto. (imagem de Horia Varlan em http://www.flickr.com/photos/horiavarlan/4681206711/ )

É isso aí, o uso da imagem torna seu texto mais atrativo, tanto para os leitores quanto para os buscadores como o Google, ou até mesmo para ferramentas como Facebook e Pinterest. Crie o hábito de renomear suas imagens com o que elas são ou sugerem, assim, pessoas com deficiência visual – que também são seus leitores, clientes e consumidores – também acessam o seu site e saberão do que se trata a imagem. A isto chamamos de acessibilidade.

Não esqueça que a imagem escolhida deve ajudar no fluxo da narrativa ou notícia, e não quebrá-la.

Créditos a quem é de direito

Isso é importantíssimo. Se aquele texto te inspirou, cite-o! Se a imagem do fulano é perfeita para ilustrar seu texto, não esqueça de dar os créditos. Se a imagem tem direito autoral, peça autorização ao detentor destes direitos. Ou use imagens “royalty free” ou com licenças Creative Commons que permitam o reuso da imagem. Muitas vezes, basta que se dê o crédito ao autor para usar estas imagens.

Camiseta marrom com a frase I Love To Share. Creative Commons.
Muito mais que política de boa vizinhança, citar fontes ajuda a oferecer novas experiências e informações ao leitor, como também dar o devido crédito àquele que te ajudou, de certa forma, na produção do seu texto. Foto da equipe A Vida Secreta, disponível em http://www.flickr.com/photos/avidasecreta/6360497621/ )

Para finalizar, nossa última dica: só a experiência e prática trará o conhecimento. Pratique e escreva já!

A 2ACES é especialista em projetos de conteúdo e colaboração e pode lhe ajudar desenvolvendo conteúdo em texto, imagens e vídeo de seu projeto ou treinamendo sua equipe de WebWriting. Entre em contato!