Case: Meu Figueira, blog dedicado ao Figueirense Futebol Clube

Homepage do blog Meu Figueira
Homepage do blog Meu Figueira

Torcedor apaixonado não perde uma oportunidade de saber mais e opinar sobre seu time de futebol de coração, principalmente se for junto de outros 25.000 mil torcedores igualmente apaixonados. Por isso, é de se entender a frustração dos leitores e editores quando o blog Meu Figueira, dedicado ao Figueirense, saía do ar ou ficava tão lento que tornava difícil atualizar o site.

Para resolver isto convocaram a Clínic2a – Terapia para WordPress a entrar em campo. E o jogo virou.

Homepage do blog Meu Figueira
Homepage do blog Meu Figueira

O paciente e os sintomas

O blog Meu Figueira é escrito e editado por torcedores apaixonados pelo Figueirense, time de futebol de Santa Catarina, e traz notícias, comentários e debate sobre os jogos, escalações e tudo o que é importante para cerca de outros 25.000 mil torcedores apaixonados pelo alvinegro de Florianópolis que visitam o site m.

Hospedado em um VPS (Virtual Private Server)[1] e utilizando uma CDN[2], o blog até que não estava tão lento no front-end, a parte que os leitores vêm, mas estava saindo do ar com frequência, especialmente nos picos de tráfego. Se um site fora do ar frustrava os leitores, a frustração era ainda maior para os editores, com o painel do WordPress extremamente lento tornando difícil atualizar o site com agilidade, algo especialmente importante nos minutos pós-jogos.

O diagnóstico e o tratamento

Em razão dos sintomas apresentados, e pelo fato do blog não contar com equipe técnica dedicada, sugerimos um tratamento simples e de resultados rápidos:

  1. Migrar o site para a WPEngine, hospedagem especializada e “tunada” para WordPress.
  2. Reconfigurar ou substituir plugins para que o painel ficasse mais rápido e editores pudessem trabalhar melhor.
  3. Uso extensivo e inteligente de cache e CDN para páginas, scripts, imagens, fontes e outros recursos estáticos.

O primeiro passo era fundamental na estratégia pois, mesmo contanto com uma estrutura tecnológica bem razoável, manter um Wordpress funcionando perfeitamente 100% do tempo em um VPS é difícil por vários motivos.

Até mesmo pela natureza modular, aberta e dinâmica do WordPress, seus plugins e seus temas, há muitos pontos críticos para manter fluída a “conversa” entre o servidor HTTP (para servir páginas), o PHP (a linguagem de programação que gera as páginas) e o banco de dados MySQL, e é comum que pequenos erros em cada ponto levem a grandes problemas no site e consequentemente, uso excessivo e ineficiente de recursos de máquina, banda, etc. E estes problemas se tornam mais graves na medida que VPSs normalmente ficam mais caros quanto mais recursos utilizam.

página do site WPengine
A WPEngine, especializada em WordPress, oferecer inúmeras vantagens

Migrar o site para um serviço especializado traria várias vantagens:

  • Evitaria que gastássemos muito tempo e energia em otimizar e configurar o VPS.
  • Mesmo seguros com a qualidade de nossos serviços, a WPengine tem equipe e recursos muito maiores e otimizam sua estrutura com frequência. Algo que nem a equipe Meu Figueira nem a Clínic2A jamais conseguirão igualar.
  • Não só o WordPress funcionaria de forma mais eficiente, rápido e confiável, como a equipe do blog Meu Figueira não teria que se preocupar com diversas questões técnicas depois. E teriam a vida facilitada até mesmo em backups e atualizações do site, que podem ser feitas com facilidade e confiança via WPengine.

Com o site migrado a melhora foi imediata, já que o WordPress ficou muito mais rápido para edições e o site, que caia com frequência, parou de cair.

Uma vez resolvida a questão da infraestrutura, passamos ao passo seguinte, reconfigurando ou substituindo plugins para que o painel ficasse mais estável e editores pudessem trabalhar melhor. Neste processo, também substituímos plugins que atuavam no front-end, ,melhorando um pouco mais a velocidade do site.

O terceiro passo – uso extensivo e inteligente de cache e CDN – tinha como objetivo não exatamente tornar o site mais rápido de fato, mas i) dar a sensação de carregamento mais rápido nas visitas seguintes e ii) gastar menos banda e recursos de servidor e com isto, melhorar ainda mais a estabilidade ao site sem aumentar custos.

Apesar de caching ser um passo típico em otimizações, este é o caso de um site dinâmico — que pode ser atualizado várias vezes num mesmo dia — e teríamos algumas limitações para o uso de cache de páginas. Algo que que nossa equipe conseguir contornar com criativiade e aperfeiçoando processos e ferramentas que desenvolvemos gradativamente em trabalhos anteriores.

Também criamos um plugin específico para o site, customizando ou substituindo funções e recursos do sistema, do tema ou de plugins por alternativas mais rápidas e amigáveis para o cache.


O resultado do tratamento

Testes de performance do blog Meu Figueira
Ganhos de velocidade e estabilidade. Testes de performance do blog Meu Figueira

Como já dissemos, a primeira melhora percebida foi a velocidade e estabilidade do painel do WordPress (backend) usado pelos editores, mas outros resultados positivos foram alcançados. E só não foram melhores pois o site depende de alguns serviços externos de terceiros (que precisam de otimização urgentemente!):

  • A homepage, que levava meio segundo para começar a responder ao navegador e quase 3 segundos para começar a apresentar algo na tela (Start Render Time) passou a responder em um décimo de segundo e a aparecer no navegador na metade do tempo original.
  • Melhora no Speed Index da homepage, uma medida da “sensação” de velocidade sugerida pelo site Webpagetest.org, especialmente nas visitas com cache (depois que o usuário já visitou o site uma vez).
  • Site estável mesmo em picos de visitação.
  • Economia de banda de aproximadamente 50% depois das otimizações finalizadas.
  • Melhora da velocidade para usuários em conexões 3G.

Pedimos ao editor-chefe do blog, Rafael Ziggy, para opinar sobre o resultado “do jogo” apresentado pelo escrete da Clínic2a – Terapia para WordPress:

Desde 2008 o Meu Figueira está no ar e a medida que foi crescendo encontrei dificuldades de encontrar um serviço de otimização para o site. Ao longo dos anos testei plugins, mudei de tema, o tamanho das imagens de destaque mudaram, enfim, várias mudanças que tornaram o site pesado. A Clínic2a foi um achado porque misturou consultoria e serviços. O pessoal tratou o site como se fossem deles e indicou a melhor solução pro nosso caso. É difícil encontrar esse nível de personalização no tratamento e por isso fica impossível não recomendar. Obrigado, Clínic2a!

Para nós, se os torcedores estão felizes, então é goleada!

Vença a lentidão em seu site: contra-ataque com a otimização de WordPress da Clínic2a!.

  • [1] VPS: Virtual Private Server (Servidor Privado Virtual), Oferece melhor performance que uma hospedagem compartilhada comum, mas por ser um servidor virtual em meio a outros em uma mesma máquina, e não um equipamento realmente separado, não oferece a mesma performance e segurança de um servidor dedicado.
  • [2] CDN: Content Distribution Network (Rede de Distribuição de Conteúdo), uma rede de servidores em vários locais do mundo, com o objetivo de diminuir o tempo para entrega de dados e arquivos para um usuários. Por exemplo, um usuário no Brasil recebe os dados de servidores no Brasil, enquanto um na Indonésia recebede servidores em sua região. O blog Tecmundo tem um artigo interessante sobre o assunto.
  • [3] Muitas vezes, os usuários se sentem mais confortáveis  com a sensação de rapidez que a rapidez absoluta. Por exemplo, se um site A leva 2 segundos para carregar, mas começa a mostrar algo útil para o usuario em 0,2s, vai parecer mais rápido e satisfatório que um site B carregando em 1,7 segundos mas que demora 1 segundo para começar a mostrar qualquer coisa na tela. O blog WebPerformance Today tem um bom artigo, em inglês, sobre assunto.